Agrupamento de Escolas de Vialonga

Rap do Outono

 

Professor Nelson Queirós

O livro de curso da Soraia Vinagreiro

O livro de curso da Isabel Marcelino

Livro de Curso da Diana Faria

O livro de curso do Daniel Cruz

Uma bagagem de palavras

*

*

*

*

Uma bagagem de palavras

uma bagagem

space_480px
narrador2a

Cansado de estar em casa, o personagem e a sua Bagagem saem porta fora à procura de novas palavras, na ânsia da partilha do conhecimento.
Uma viagem pela poesia, caminhando sobre as palavras dos maiores poetas da língua portuguesa. Um texto alegre e divertido, cheio de poesia dirigida à infância. Um espetáculo que predispõe para o divertimento.

 

 

Ficha Técnicamala1amala1a
Texto, Encenação, Cenografia e Figurinos: Paulo Renato Rodrigues
Poemas de: Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes, Tóssan, António Manuel
Couto Viana, António Torrado, Maria Alberta Menéres, Álvaro Magalhães,
Joaquim Pessoa, Manuel Bandeira, Luísa Ducla Soares, Luís de Camões,
Cecília Meireles e Mário Castrim

Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira, dia 1 de junho, às 15h30

No âmbito das Comemorações do Dia Mundial da Criança

Dirigido a Pais e Filhos (dos 6 aos 12 anos)
mala1amala1a
Entrada gratuita mediante marcação prévia

Marcações:
Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira
Tel. 263 271 200
E-mail:  secretaria@bmvfx.net

ver mais

T’ Ulisses

Entrevista aos atores

1- Como conseguem decorar as falas? Como conseguem representar tão bem?
Nós treinamos muitas vezes a mesma peça de teatro.

2 – É difícil representar?
Não.
 
3 – Como é que não se distraem com tanta gente à volta?
Precisamos de estar muito concentrados e tentamos estar muito concentrados na personagem que estamos a representar.
 
4 – Ficam nervosos quando estão a representar?
Vasco: Ficamos com borboleta na barriga e às vezes com um nó no estômago.
José Teles: Ficamos um bocadinho nervosos, sim.
Sofia: No início fico um bocadinho nervosa, mas quando começo a representar deixo de estar nervosa.

5 – Quando estão a representar, como é que conseguem não se rir?
Nós concentramo-nos, mas às vezes temos vontade de rir. Às vezes temos de morder a língua para não rir.

6 – Porque é que representam descalços?
Estamos descalços para nos conseguirmos mexer melhor e é mais confortável estar descalços do que com ténis.
 
7 – Que tipo de peças representam?
Fazemos peças de teatro de comédia, de drama, de todo o tipo.
 
8 – Quando se esquecem das falas vocês inventam?
Sofia: É raro, mas sim às vezes inventamos.
Vasco: Nós improvisamos e isso faz parte do trabalho de ator.

9 – Gostam de ser atores?
Adoramos!!!! Gostamos mesmo muito!
 
10 – Onde estudaram para ser atores?
José Teles: Eu estudei na melhor escola do país, em Évora.
Sofia: Eu estudei em Cascais.
Vasco: Eu não estudei em nenhuma escola, mas comecei ator amador. Comecei a fazer teatro como hobbie, nos meus tempos livres, como outras pessoas fazem natação e andam de bicicleta. Eu gostei tanto de ser ator amador que nunca mais deixei de fazer peças de teatro.

11 – Vocês gostam mais de ver ou de fazer teatro?
Vasco: Eu aprendi a fazer teatro, vendo muitas peças de teatro, mas gosto mais de representar. Sempre que vou ver uma peça de teatro aprendo mais e reparo em certos pormenores porque sou ator e para fazer também nas minhas peças de teatro.

12 – Estavam mesmo chateados quando estiveram a lutar?
Todos: Não, não estávamos chateados a sério. Aquela luta faz parte da peça.
 
 
13 – Quantas vezes ensaiam por semana?
Não perguntámos!

Relato coletivo sobre a visita de estudo do dia 24 de maio

No dia 24 de maio de 2013 fomos à Sociedade do Freixo, em Alpriate, ver uma peça de teatro chamada T’ Ulisses, da companhia do Teatro do Zero, de Vila Franca de Xira.

Nós fomos a pé até Alpriate e voltámos para a escola na carrinha da Junta de Freguesia, com o presidente.

Nós não pagámos nada porque a Associação de Pais de Vialonga ofereceu a todos meninos o bilhete para ver esta peça de teatro. Gostámos muito da prenda da Associação.

Adorámos a peça de teatro, porque foi muito divertida e engraçada. Nós conseguimos participar e fazer uma entrevista no final da peça aos atores.

Nesta peça de teatro havia três atores e muitos figurantes. Os três atores faziam de Ulisses. Eles trocavam de personagem e sempre que o chapéu na cabeça eram o Ulisses. Os figurantes eram todos os alunos que estavam a ver a peça.

Relato coletivo

1º e 4º anos

Professora Carmen Correia

EB1/JI Granja